quinta-feira, 6 de agosto de 2009

O Mascote

Nenhum animal poderia ser mais apropriado para se tornar o mascote do Cruzeiro que a Raposa. Esperta e sagaz, ela simboliza bem o espírito da equipe azul estrelada, que sempre primou por jogar de forma inteligente,rápida, encurtando os espaços do campo e partindo com objetividade para conquistar as vitórias.

O desenhista Fernando Pierucetti, o Mangabeira,se inspirou no então presidente Mário Grosso para criar o símbolo do Cruzeiro na década de 40, atendendo a pedido do jornalista Álvares da Silva, do jornal Folha de Minas. Segundo o próprio desenhista,enquanto os dirigentes dos outros clubes ficavam discutindo a aquisição ou não de um bom jogador que estava despontando, Grosso não titubeava e, com a esperteza de uma Raposa, contratava logo a jovem promessa. A homenagem a um dos presidentes do Cruzeiro acabou deixando as salas da administração do clube e páginas de jornal para ser assimilada não só pela imensa torcida, mas também pelos jogadores. Com essa identificação dentro e fora dos gramados, a Raposa foi ganhando cada vez mais espaço e respeito, mostrando sempre um incrível apetite para devorar títulos estaduais, nacionais e internacionais.

Apresentamos a raposa do século XXI,ela não é cibernética, ela não é robótica.Ela saiu da toca diretamente para o site oficial do Cruzeiro. Continua esperta e sagaz como a outra, a original, criada há 60 anos atrás, ali, na raça, com lápis sobre a folha de papel.E vem representar o Cruzeiro e sua torcida numa nova fase. Sempre com o maior respeito pela raposa de Mangabeira. Mas, numa toca, quem diz que mora uma raposa só?


Abaixo, algumas imagens do mascote:







Nenhum comentário:

Postar um comentário